Conheça a classificação de risco no atendimento do Centro Pediátrico

 

A classificação de risco para os pacientes que buscam acolhimento em uma unidade de pronto socorro é uma metodologia que define as prioridades clínicas nos serviços imediatos de saúde. A metodologia foi criada em 1994, na Inglaterra.  Além do Brasil, alguns países como a Austrália, Espanha, Reino Unido e Canadá já utilizam a classificação de risco desde 2001.

Embasada nessa metodologia e com o objetivo de aprimorar o atendimento pediátrico, a Unimed Fortaleza utiliza o sistema de acolhimento com Classificação de Risco no Centro Pediátrico, em que o grau de risco dos pacientes é classificado por cores. Veja abaixo:

Vermelho: paciente em estado grave com risco iminente de morte;

Laranja: paciente em estado grave, que necessita de atendimento rápido;

Amarelo: urgente, mas o paciente precisa aguardar os casos graves serem atendidos;

Verde: pouco urgente, o paciente precisa aguardar os casos acima.

Os atendimentos referentes a retornos seguem o seguinte fluxo: após 12 horas da consulta são considerados como novos, passando pela classificação de risco, pois o quadro clínico pode se modificar. Já os pacientes com menos de 12 horas são encaminhados pela supervisora de plantão para o médico.

Sobre a Classificação de Riscos

A classificação de riscos é feita com base no decreto 5.296/2004 que regulamenta a lei 10.048/2000, em seu artigo 6º §3, citando que nos serviços de emergência dos estabelecimentos públicos e privados de atendimento à saúde, a prioridade conferida por este Decreto fica condicionada à avaliação médica em face da gravidade dos casos a atender.

Centro Pediátrico

Centro Pediátrico da Unimed Fortaleza acolhe crianças e adolescentes, de até 17 anos, em situação de urgência ou emergência. Vale lembrar que se caracteriza como urgência a ocorrência imprevista de agravo à saúde com ou sem risco de vida, cujo paciente necessita de assistência médica imediata. E a emergência se dá com a constatação médica de condições que impliquem em risco iminente de vida ou sofrimento intenso, exigindo, portanto, tratamento médico imediato. Exemplo de urgência: convulsão febril e de emergência: falta de ar intensa.

Para mais informações, visite a página do Centro Pediátrico ou ligue para: 3209-4900.

Fonte:

Unimed Fortaleza